Notícias

Guia de Escaladas de Andradas

Guia-de-Escaladas-AndradasChegou na livraria da Companhia da Escalada o Guia de Escaladas de Andradas, no sul de Minas Gerais. São mais de 80 vias. A altura das três pedras principais é de aproximadamente 200 metros. A inclinação vai do positivo ao vertical e alguns negativos, havendo boas opções de vias para todos os níveis. O estilo predominante é a escalada em livre tradicional, misturando proteções fixas com móveis. Saiba mais

Por um Triz – André Ilha

por-um-trizChegou a livraria da Companhia da Escalada o livro Por um Triz. Aguardado há muito tempo pela comunidade escaladora, este novo livro de André Ilha reúne uma impressionante coletânea de histórias vividas por um dos mais experientes escaladores do país nas suas montanhas domésticas, com belezas e dificuldades próprias que em nada ficam devendo, em termos de emoção, às vividas pelos escaladores de maciços rochosos mais famosos, embora sejam certamente diferentes em muitos aspectos. Assim, os relatos das famosas ascensões invernais aqui se veem substituídos por escaladas sob um calor debilitante, e a travessia de paredes instáveis de gelo e neve dá lugar a passagens igualmente precárias em vegetação. E há ainda, no caso do Rio de Janeiro, o maior centro de escaladas urbanas do mundo, situações tensas típicas (e, às vezes, bizarras) decorrentes de encontros na mata ou no acesso a elas com bandos de traficantes ou outros tipos portando uma arma em suas mãos.

É um livro, portanto, que deve agradar tanto a praticantes dedicados, que se identificarão com as situações nele descritas, quanto a leigos, que terão a chance de conhecer as peculiaridades de um esporte fascinante, que cresceu muito no Brasil nas últimas duas décadas. Saiba mais…

ATM 2016

atm_logo2016A Abertura da Temporada de Montanhismo (ATM) é um evento promovido anualmente pela FEMERJ com o objetivo de celebrar a cultura do montanhismo e estimular a formação de público de atividades ao ar livre, além de promover o encontro de montanhistas e simpatizantes.

Há mais de duas décadas, a ATM celebra o início da época mais propícia para ser praticado o montanhismo ou a escalada na cidade com uma confraternização aberta ao público que inclui atividades de educação ambiental, demonstrações de técnicas de escalada e resgate, oficinas, stand cultural.

Esse evento, na sua 29ª edição, atrai montanhistas e escaladores bem como simpatizantes das atividades ao ar livre e conservação das montanhas de todo o Brasil e é considerado o evento mais tradicional do montanhismo brasileiro.

Atualmente, a ATM conta com a participação de federações e clubes de outros estados, bem como de parceiros, como a Riotur, Secretaria Municipal de Meio-Ambiente (SMAC), Instituto Estadual do Ambienta (INEA) e Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), escoteiros, além de lojas do ramo.

Esse ano a ATM está temática: “mínimo impacto”, venha curtir essa novidade!

Ocorrerá nos dias 30 de abril e 1º de maio, sábado e domingo, na Praça General Tibúrcio, Praia Vermelha, Urca.

Mais informações em www.rionasmontanhas.com

A Múmia da Gallotti

Patrick White na segunda enfiada da Gallotti. Foto arquivo CEC/Ivan Calou.

Patrick White na segunda enfiada da Gallotti. Foto arquivo CEC/Ivan Calou.

Dois anos após a inauguração do CEPI em 1952, foi finalizada a quarta via para o cume do Pão de Açúcar, a Chaminé Gallotti, no Totem, no lado oposto de onde se encontra a Chaminé Stop. Desenhada num intrincado sistema de fendas, formada por uma sucessão de platôs, chaminés estreitas, entalamentos de corpo e oposições, a Gallotti foi conquistada utilizando-se 42 grampos por cinco escaladores do Clube Excursionista Carioca. São eles: Tadeusz Hollup, Antônio Marcos de Oliveira e Ricardo Menescal, juntando-se posteriormente ao grupo Patrick White e Laércio Martins.

A Múmia da Gallotti. Arquivo CEC/Ivan Calou.

A Múmia da Gallotti. Arquivo CEC/Ivan Calou.

A história desta longa via contou com um episódio insólito e sinistro. Segundo nos informou Tadeusz Hollup, tudo começou na primeira caminhada que fizeram para encontrar um possível início para a via, quando ele encontrou um sapato e, em tom de brincadeira, disse: “Acho que iremos encontrar o dono desse sapato”. Dito e feito, era setembro de 1949, estavam conquistando o segundo lance da via e encontraram um cadáver entalado pela garganta em uma fenda e descalço.

O escalador que guiava aquele lance ainda deu segurança para que seu participante chegasse até ele.

A Múmia da Gallotti. Arquivo CEC/Ivan Calou.

A Múmia da Gallotti. Arquivo CEC/Ivan Calou.

Em um primeiro momento pensaram ser o cadáver de uma mulher devido ao longo cabelo, porém depois repararam que havia barba e portanto seria de um homem. Os dois resolveram descer e chamar a polícia. No mesmo dia comunicaram o caso na delegacia de Botafogo e combinaram o resgate do corpo para o dia seguinte. “Durante a noite e madrugada recebi alguns repórteres que queriam saber da múmia”, conta Tadeusz.

Conquistadores da Gallotti: Patrick White, Laércio Martins, Ricardo Menescal e Tadeusz Hollup. Arquivo CEC/Ivan Calou.

Conquistadores da Gallotti: Patrick White, Laércio Martins, Ricardo Menescal e Tadeusz Hollup. Arquivo CEC/Ivan Calou.

Na década de 40, ainda não havia a pista Cláudio Coutinho e os escaladores tiveram um pouco de trabalho para levar os bombeiros, o legista, o delegado e repórteres à base da via. O corpo, que deveria estar ali há vários meses, foi descido pelos próprios escaladores com uma corda. “Era esqueleto puro, apenas com a pele ressecada por cima”, lembra Tadeusz. Segundo o legista, a pessoa era um homem, mas não foi possível identificá-lo. Mesmo com as fotos publicadas nos jornais, ninguém se manifestou. Assim o corpo deste homem ficou conhecido como a Múmia da Gallotti. Ele não acha possível que uma pessoa pudesse cair do cume e parar naquela posição na chaminé, logo no início da via. Portanto o mistério perdura…

Um fato curioso é que havia uma favela entre o Morro da Urca e o Pão de Açúcar, virada para o lado de onde está hoje a Pista Cláudio Coutinho. Esta favela foi removida posteriormente pelos militares, pois estava alastrando-se e começava a avançar para o cume do Morro da Urca.

Saiba mais no Guia de Escaladas da Urca.

Texto: Flavio e Cintia Daflon.

Revista Gol

Companhia da Escalada na Revista Gol.

Companhia da Escalada na Revista Gol.

A Companhia da Escalada foi citada na revista da Gol que circula em suas aeronaves. Foi na revista de número 165, de dezembro de 2015. Não apenas foi citada com teve um grande destaque na página com uma bela foto em que aparece o Flavio Daflon próximo ao topo do Pão de Açúcar. Aí está…

Comemoração Companhia da Escalada 20 anos

20-Anos-Companhia-da-EscalaFalta 1 mês para o Encontro da Companhia da Escalada 2015. Dia 15 de novembro! No muro da Evolução!

Comemoração dos 20 Anos da Companhia da Escalada! Escalada, mini-campeonato e churrasco!

Alunos e ex-alunos da Escola entrem em contato pra confirmar a presença.

Mega Jul – Atenção ao dar segurança!

Alguns escaladores tem relatado um problema ao dar segurança com o Mega Jul da Edelrid para o participante utilizando corda fina. Veja o que acontece e o que pode ser feito. Explicações de Flavio Daflon.

A Edelrid, fabricante do Mega Jul, respondeu nosso contato sobre este problema. Disseram que estavam cientes e que isto acontece não só no Mega Jul como também em alguns outros aparelhos vendidos no mercado. Mas o mais importante é que em breve os aparelhos sairão de fábrica com uma atualização no manual muito parecida com esta sugestão que está no vídeo. Agora temos uma orientação do fabricante. Veja este trecho do novo manual abaixo.

Mega Jul Manual

Alex Honnold com Flavio Daflon e Ralf Côrtes

Honnold-no-RioO mundialmente famoso Alex Honnold está no Rio de Janeiro! Veio para participar do Rio Mountain Film Festival 2015 e aproveitou para escalar, é claro! Flavio Daflon da Companhia da Escalada e Ralf Côrtes tiveram o prazer de levar Alex para escalar o Pão de Açúcar. O caminho escolhido foi a Via do Totem (7º IXc). Honnold passou à vista tranquilo na Sikoete (VIIc), Lacas (VIIc), Revolta dos Gravatás (VIIc) e encadenou a aresta da A Um Passo do Espaço na segunda tentativa, fazendo pelo IXc. Achou esquisita a enfiada que chega na aresta com as lacas quebradiças! A foto ao lado foi tirada no último grampo da via.

Chegou o Guia de Escaladas do Cuscuzeiro

Guia-de-Escalada-do-CuscuzeEste guia traz mais de 60 vias localizadas no Cuscuzeiro, monolito que fica em Analândia, São Paulo. Essas paredes de arenito começaram a ser exploradas na década de 80 e o livro conta um pouco dessa história, dá os acessos e descrições, além de muitas fotos. Ele é inteiramente colorido. A predominância é de vias esportivas, sendo que a vias mais altas chegam a aproximadamente 50 metros, então dá pra se divertir em várias delas em um só dia.

Um lugar diferente, que vale conhecer! Saiba mais…

20 anos de Companhia da Escalada

20 Anos - Companhia da EscaladaCriada em 1995 pelo escalador carioca Flavio Daflon, a Companhia da Escalada completa em 2015 20 anos de fundação.
Foi também em 1995 que Flavio Daflon e Delson de Queiroz elaboraram o Guia da Urca, um dos primeiros guias de escalada do Brasil, impresso no início do ano seguinte.

É com grande orgulho então que damos os parabéns a Companhia da Escalada por essa data festiva, parabenizando também as pessoas que fazem dela esta grande escola, nossos guias, alunos e clientes!
Parabéns a todos pelo amor as montanhas e profissionalismo no esporte!

Novo Guia de Escaladas de Quixadá

QuixadaChegou na livraria da Companhia da Escalada o Guia de Escaladas de Quixadá com 133 vias e todo colorido. Enviamos para todo o Brasil. Agora são mais de 20 títulos na nossa livraria. Quixadá é um dos maiores points de escalada no Nordeste. Veja!

Nos siga nas redes

Entre em contato